alimentos prostata

A dieta alimentar e a saúde da próstata

As informações a seguir destinam-se aos homens que desejam saber mais sobre como melhorar sua dieta alimentar. Elas descrevem uma dieta saudável que pode beneficiar os homens que querem prevenir-se contra o surgimento do câncer da próstata ou aqueles que já foram diagnosticados com esse problema. Discute a respeito dos vários tipos de alimentos e porque eles são importantes. Não se recomenda uma determinada dieta, fixa, mas, ao invés, sugere-se como realizar mudanças inteligentes e fundamentadas para assegurar que o homem está se alimentando de forma saudável.

Estas informações não abrangem os problemas de alimentação ou digestão causados pelo câncer da próstata ou decorrentes do seu tratamento.

Porque devo melhorar minha dieta alimentar? Há inúmeros fatores que podem aumentar o risco de desenvolver câncer de próstata. Entre eles inclui-se a idade avançada, um histórico familiar de ocorrência da doença e a dieta alimentar. Não é possível controlar ou alterar os dois primeiros fatores; mas, a decisão sobre a dieta depende unicamente da vontade individual. Melhorando a sua dieta o homem assume o controle sobre sua saúde e toma a iniciativa de melhorá-la. Isto traz ainda outras decorrências benéficas para a saúde, tais como a redução do risco de doenças cardíacas e da diabete. Pesquisas mais recentes sugerem que alguns tipos de alimentos não só ajudam a prevenir o desenvolvimento do câncer de próstata como também reduzem o crescimento de tumores em homens que já foram diagnosticados como portadores dessa doença, além de reduzirem a probabilidade de recorrências após a mesma ter sido tratada.

A dieta do ocidente Os povos ocidentais, dos quais fazem parte os brasileiros, apresentam índice de incidência de câncer de próstata maior daquele dos que vivem no extremo oriente, em países como a China e o Japão. Contudo, o índice da incidência da doença cresce entre homens que migram do Japão para os Estados Unidos. Os pesquisadores apontam a dieta do mundo ocidental como a causa desse crescimento. Este ponto de vista é suportado pelo fato de que o índice de incidência do câncer de próstata eleva-se cada vez que mais pessoas adotam os hábitos de alimentação do mundo ocidental. Durante os últimos 50 anos a dieta ocidental incluiu cada vez menos frutas e menos vegetais em confronto com a maior ingestão de gorduras saturadas e carnes. Estas alterações alimentares aumentam o risco de que homens desenvolvam câncer de próstata ao longo dos anos.

A prevenção do câncer de próstata A relação exata entre a dieta e o câncer de próstata ainda não está bem esclarecida. Uma das razões para isso é o fato de que a nossa dieta é rica, constituída por muitos alimentos diferentes. Os cientistas ainda não conseguiram isolar todos os nutrientes que estão envolvidos tanto na proteção do organismo contra o câncer de próstata e como também aqueles que podem causar a doença. Vários estudos mostram que comer determinados alimentos pode reduzir o risco de desenvolver o câncer de próstata, reduzir a probabilidade de que o câncer reincida após o tratamento ou reduzir a progressão da doença. Contudo, ainda são requeridos estudos adicionais para suportar estas descobertas antes que possamos afirmar com total segurança quais os alimentos que podem beneficiar homens preocupados com o problema ou que tenham sido diagnosticados como possuidores de câncer da próstata. Não se sabe ainda, com segurança, se mudanças de hábitos alimentares já em idade mais avançada podem prevenir o surgimento do câncer de próstata. Entretanto, melhorando a sua dieta o homem irá beneficiar-se de uma melhoria geral da sua saúde e qualidade de vida, com menor risco de doenças cardíacas e de diabetes, além de se proteger também contra outros tipos de cânceres.

Como devo introduzir mudanças na minha dieta? Encontrar informações confiáveis a respeito de hábitos saudáveis pode ser tarefa trabalhosa e confusa. Há muitos regimes “salvacionistas”, “mágicos”, “infalíveis” e “definitivos”, “adotados pelos famosos” e pelas “estrelas e socialites”. Nossas informações sugerem meios pelos quais o homem pode alterar sua dieta para reduzir o risco de desenvolver câncer de próstata e provocar uma melhora geral na sua saúde. Sempre será mais fácil permanecer fiel a uma nova dieta quando as mudanças forem introduzidas na forma de pequenas alterações de hábitos, tendo em vista objetivos definidos. É importante sentir-se feliz com a nova dieta. Fazer refeições com a família e amigos é parte importante do cotidiano e as mudanças não podem reduzir o prazer desses eventos sociais. Tente eliminar o que for prejudicial à saúde, mas não exclua totalmente determinadas categorias de alimentos de sua dieta. Cortar totalmente uma categoria de alimentos pode tornar difícil encontrar o balanceamento correto entre os nutrientes necessários. De forma geral, uma dieta boa para o coração é também boa para a próstata. Nunca acredite nas opiniões das comadres ou em messiânicos com fórmulas mágicas infalíveis. Para fazer grandes alterações na dieta ou caso possua condições médicas que podem ser afetadas pela mesma, consulte o seu médico ou peça orientação para um(a) nutricionista habilitado(a).

O que é uma dieta saudável? O quadro abaixo mostra os cinco grandes grupos de alimentos e a proporção em que devem participar numa dieta saudável.

Para uma dieta saudável:

  • Basear suas refeições em alimentos farináceos como batatas, arroz e macarrão. Preferir as opções de grãos integrais, como pães integrais, macarrão de trigo integral e cereais integrais. Eles são ricos em fibras e ampliam a sensação de saciedade por mais tempo.
  • Comer no mínimo cinco porções de frutas e vegetais por dia.
  • Incluir nas refeições algumas porções de proteínas como peixe, frango sem pele e carnes magras.
  • Manter uma dieta pobre em gorduras.
  • Reduzir o consumo de açúcar. O limite diário saudável corresponde a 70 gramas ou 17 colherinhas de chá. Isso inclui o “açúcar oculto” em refrigerantes e sucos, bem como em alimentos processados como bolos, sorvetes e biscoitos.
  • Reduzir o consumo de sal. Ingerir menos do que uma colherinha de chá e um quarto por dia, cuidando de incluir nesse total o “sal oculto” em bebidas e alimentos processados. Adicionar ervas e especiarias aos alimentos quando cozinhando, para dar mais sabor aos mesmos.
  • Beber de seis a oito copos de água por dia. Evitar bebidas adoçadas ou com gás.

Ingerir uma dieta balanceada fornece todos os nutrientes necessários; melhor do que tomar suplementos. Os suplementos alimentares podem não oferecer todos os benefícios dos nutrientes naturalmente encontrados nos alimentos e não se conhece bem todos os seus possíveis efeitos prejudiciais. Em alguns casos, entretanto, os suplementos podem ser necessários. Por exemplo, quando submetido à homonoterapia o paciente pode necessitar um suplemento de cálcio.

O peso saudável Ainda não se tem uma total compreensão de como a obesidade afeta o risco de desenvolver câncer de próstata, mas ela pode estar associada a uma elevação da agressividade ou do avanço da doença. Nas pessoas que tenham sido diagnosticadas como portadoras de câncer de próstata, manter o peso saudável mais provavelmente aumentará a probabilidade de que o tratamento seja bem sucedido. Além disso, o peso mantido em nível saudável reduz o risco de outros problemas de saúde como a diabete e moléstias do coração. A tabela a seguir permite que a pessoa identifique seu Índice de Massa Corporal (IMC). Você pode medir o seu Índice de Massa Corporal (IMC), utilizando o gráfico abaixo. Marque o seu peso em quilogramas e desenhe uma linha de cima para baixo. Em seguida, marque a sua altura em metros e desenhe uma linha da esquerda para a direita. O ponto onde duas linhas se cruzam estará em uma das áreas sombreadas, mostrando se você está ou não em um peso ideal para sua altura.

Este gráfico deve ser usado conjuntamente com a medida da cintura do homem. Qualquer pessoa que tenha mais de 102 cm de circunferência na cintura está correndo sérios riscos de saúde.

Seguir uma dieta pobre em gorduras e praticar exercícios regularmente auxiliará na perda de peso de forma gradual e saudável. As pessoas levam anos para ganhar peso e, depois, pretendem perder os quilos em excesso em um ou dois meses. Além de não ser uma forma saudável de emagrecer, o corte drástico na ingestão de alimentos intensifica a reação do organismo contra a sua escassez, através da diminuição do metabolismo e outros mecanismos de defesa, que tornam menos eficaz o regime. É importante incluir na dieta pelo menos cinco porções de vegetais ou frutas todos os dias. É igualmente fundamental conduzir qualquer programa de redução de peso sob a orientação de um médico ou um nutricionista.

Uma porção é, aproximadamente, do tamanho da palma da mão da pessoa, ou 80 g em peso.

Um estilo de vida ativo Para ter uma vida ativa e saudável é necessário incluir 30 minutos de exercícios físicos com parte da rotina do cotidiano. A prática de exercícios cria proteções contra alguns tipos de câncer e outras doenças. Todas as pesquisas indicam que a atividade física ajuda a reduzir o risco de desenvolver um tipo mais agressivo de câncer de próstata. Determinadas terapias para o tratamento do câncer de próstata apresentam, como efeito colateral, o aumento do peso e a redução da resistência dos ossos (osteoporose). Exercícios regulares podem manter a pessoa hígida e com melhor equilíbrio, reduzindo o risco de quedas que podem ocasionar fraturas.

Quais alimentos podem afetar o risco de desenvolver câncer de próstata?

Frutas e vegetais Comer cinco porções de frutas e vegetais por dia reduz o risco de doenças cardíacas e outros distúrbios médicos, incluindo o câncer. Isso inclui frutas e vegetais frescos, congelados, evaporados, secos ou sucos.

Uma porção é, aproximadamente, do tamanho da palma da mão da pessoa, ou 80 g em peso.

Os cientistas ainda não conseguiram identificar todos os nutrientes que estão envolvidos nessa proteção ao organismo. Dessa forma, a pessoa deve privilegiar a ingestão de produtos frescos. Suplementos vitamínicos, por seu lado, muito embora possuam princípios ativos de comprovada eficácia, não devem substituir a ingestão de produtos “in natura”, pois podem não conter componentes de grande importância, cuja função ainda não esteja bem definida ou estudada.

Um arco íris de cores Diferentes frutas e vegetais contêm diferentes vitaminas, minerais e nutrientes. Uma boa forma de aumentar a ingestão dessas vitaminas e minerais é comendo frutas e vegetais de diferentes colorações. A pessoa deve preocupar-se em incluir na sua dieta todas as cores existentes nos vegetais e frutas na natureza.

Vermelho tomates, framboesas, melancia, feijão, morango, cebola roxa, rabanete, pimentão vermelho
Roxo Beringelas, uvas, feijão azuki (feijão vermelho), mirtilos (uva do monte ou blueberry), repolho roxo, ameixas
Laranja Cenoura, laranja, abóbora manga, damasco, batata doce, abóbora, pimentão, abóbora pescoçuda
Amarelo Abacaxi, milho, pêssego, chicória, banana, pimentão amarelo
Verde Espinafre, brócolis, abacate, ervilhas, pêras, kiwis, alfaces, pimentões verdes, abobrinha, abóbora, ervas frescas, agrião

Vegetais crucíferos Estes vegetais pertencem à família do repolho. Eles contêm um produto químico (denominado sulforafano) que auxiliam o corpo na reparação de qualquer dano causado por substâncias cancerígenas. São exemplos desses vegetais: brócolis, repolho, couve-flor, couve de Bruxelas, couve chinesa e couve. A ingestão de pelo menos cinco porções deles por semana pode reduzir o risco de desenvolver câncer de próstata. Caso, entretanto, a pessoa já seja portadora de câncer de próstata, esses vegetais não irào reduzir o risco de que a doença se espalhe por outros órgãos. Mas, comê-los irá provocar melhora geral na saúde.

Antioxidantes O corpo protege-se contra o ataque de agentes externos, como bactérias, produzindo moléculas denominadas radicais livres. Contudo, caso esses radicais saiam do controle, eles podem danificar células e tecidos normais. Aparentemente, eles estão envolvidos em vários estágios dos processos de desenvolvimento do câncer. Os antioxidantes “enxugam” o excesso de radicais livres, reduzindo, dessa forma, o risco de câncer. Os antioxidantes que se acredita protegem o organismo contra o câncer da próstata incluem vitaminas e minerais tais como o selênio e a vitamina E, outros compostos como o licopeno e alimentos como suco de romã e o chá verde. A melhor forma de incluir antioxidantes na dieta é comer frutas e vegetais à vontade.

Selênio Um estudo demonstrou que tomando 200 micro gramas de selênio por dia o homem tem menor probabilidade de ser diagnosticado com câncer de próstata do que aquele que não o toma. Esta relação está no momento sendo estudada num grande experimento envolvendo 32.000 homens. Os resultados desta pesquisa, denominada SELECT (Selênio. Vitamina E e Vitamina C na Prevenção do Câncer de Próstata) serão divulgados em 2013. Os dados até agora obtidos sugerem que o selênio não reduz o risco de câncer de próstata, mas ainda as conclusões não são definitivas. O selênio é encontrado em sementes oleaginosas como a castanha do Pará, sementes de girassol, abóbora e gergelim, pão, cereais, peixe e frango.

Vitamina E Há controvérsias quanto ao papel da vitamina E na prevenção do câncer de próstata. Alguns estudos demonstraram haver relação entre tomar suplementos de vitamina E e a redução do risco de câncer da próstata, enquanto que outros estudos não permitiram a mesma conclusão. As descobertas da pesquisa SELECT, descrita acima, indicam não haver efeito benéfico da vitamina E. De qualquer forma, é melhor aguardar os resultados finais, que serão divulgados em 2013. São fontes de vitamina E:

  • sementes de girassol
  • avelãs e amendoins
  • vegetais folhosos verde escuro óleos vegetais
  • alguns cereais matinais.

É preferível ingerir vitamina E a partir dessas fontes naturais do que na forma de suplementos ou cápsulas. Caso prefira tomar suplementos, a dose diária não deve exceder 400 UI pois acima desse nível pode aumentar o risco de outras doenças. Portadores de diabetes ou de problemas cardíacos devem evitar suplementos de vitamina E.

Licopene O tomate é a mais conhecida fonte de licopeno, que também pode ser encontrado em melancias, toranja rosa (grapefruit) e mamão papaia. Deve-se evitar toranjas rosa em caso de estar tomando medicamentos tipo estatinas, para reduzir o nível de colesterol ou drogas para o tratamento de disfunção erétil. Os suplementos de licopeno não oferecem a mesma proteção do que os ingeridos a partir de fontes naturais. Tomates processados ou cozidos, por exemplo, na forma de molhos, sopas e macarronadas, aparentemente são melhor fonte de licopeno do que os tomates crus. Pessoas que comem pelo menos duas porções de molho de tomate por semana aparentemente reduzem em um terço o risco de desenvolver câncer de próstata. Ainda não se sabe o porquê de tomates na forma de molhos serem mais eficazes do que crus. Pode isso decorrer do fato de que o cozimento do tomate libere o licopeno, tornando-o mais facilmente disponível para o organismo. O licopeno também reduz o processo de desenvolvimento do câncer de próstata em homens que já tenham sido diagnosticados com a doença, pois aumenta a taxa de mortalidade das células cancerosas.

Chá verde O chá verde contém poderosos antioxidantes denominado polifenois. Tomar regularmente chá verde pode proteger o homem contra o crescimento do câncer da próstata. É de se observar, contudo, que efeitos protetores significativos somente serão sentidos caso haja a ingestão de pelo menos seis copos diários. Isso pode parecer muito, mas é possível, substituindo outras bebidas quentes, como o café, pelo chá verde.

Cálcio e laticínios Uma pessoa pode obter de sua dieta diária tudo o que necessita de cálcio. Caso, contudo, opte por tomar suplementos, deve ficar dentro do limite diário de 700 mg. Os estudos mostram que homens que consomem altas quantidades de cálcio por dia (mais de 2.000 mg) provenientes de laticínios, têm grande risco de desenvolver câncer de próstata.. A tabela a seguir dá exemplos de alimentos que são boas fontes de cálcio.

Fontes de cálcio de laticínios Quantidade de cálcio
Leite semi desnatado( porção de 200ml) Queijo cheddar (porção de 40g) Iogurte desnatado (porção de 150g) Preferir sempre as versões desnatadas dos produtos. Já é possível encontrar produtos não derivados de leite, como o leite de soja. 250mg 300mg 245mg
Outras fontes de cálcio que não laticínios Quantidade de cálcio
Sardinhas em lata (porção de 100g) Couve (porção de 95g) Brócolis (porção de 85g) Feijão (porção de 60g) Tofu (porção de 100g) 500mg 145mg 35mg 45mg 275mg

 

É importante que homens que estejam em tratamento por quimioterapia ingiram quantidades adequadas de cálcio e vitamina D para prevenir a osteoporose. Entre 1.000 mg e 1.500 mg diários de cálcio e 400 a 800 UI de vitamina D são suficientes para manter ossos fortes. Devem seguir sempre a orientação médica ou de nutricionista.

Flavonóides Os flavonóides são uma classe de compostos naturais de considerável interesse científico e terapêutico. Eles são um grupo de substâncias naturais com estrutura fenólica variável. A quercetina (3,5,7,3’-4’-pentahidroxi flavona) é o principal flavonóide presente na dieta humana. Várias propriedades terapêuticas dos flavonóides, principalmente da quercetina, têm sido estudadas nas últimas décadas, destacando-se o potencial antioxidante, anticarcinogênico e seus efeitos protetores aos sistemas renal, cardiovascular e hepático Estudos divulgados recentemente demonstraram que os flavonóides possuem papel importante no controle do câncer do pulmão, do fígado, dos rins e da mama.Fontes de flavonoides são encontradas na soja e em frutas de regiões frias do hemisfério norte, como o cranberry.

Proteínas O corpo necessita de proteínas para o crescimento e reparação do desgaste da vida. A quantidade necessária de proteínas para um homem com idade abaixo de 50 anos é de 56 gr por dia; acima de 50 anos, cai para 53 gr. Estudos mais recentes demonstram que comer grandes quantidades de proteínas provenientes de laticínios, como o queijo, pode aumentar o risco de desenvolver câncer de próstata. É preferível optar por proteínas de outras fontes, tais como peixes, sementes oleaginosas, feijão e lentilha.

Carne Carnes processadas, ou embutidas, como o presunto, bacon e salsichas podem aumentar o risco de câncer da próstata. Estas carnes, usualmente, contêm alta concentração de sal e nitratos, produtos que os pesquisadores são fatores de aumento do risco. Os homens devem reduzir a ingestão desse tipo de alimento, optando por carnes in natura magras. Alguns pesquisadores também encontraram evidências de que as carnes cozidas a altas temperaturas podem também aumentar o risco de câncer da próstata. Os cientistas crêem que quanto a carne é tostada ou grelhada com carvão podem libertar-se ou se desenvolver produtos químicos que originam radicais livres, os quais danificam as células normais.

Gorduras Quando uma pessoa come gorduras, o corpo quebra as moléculas da mesma em partes menores, utiliza aquelas que necessita e armazena o restante para uso futuro. Por outro lado, o corpo humano precisa de um pouco de gordura para funcionar adequadamente. Dessa forma, ao invés de eliminar totalmente, é preferível adotar uma dieta com baixo teor de gordura. O excesso de gordura aumenta os riscos para a saúde como, por exemplo, doenças do coração. Deve-se refletir sobre os tipos de gordura que se come tentar substituir gorduras saturadas por alimentos que sejam ricos em gorduras insaturadas. Em alimentos como bolos, manteiga e derivados de carne são encontradas altas concentrações de gorduras não saudáveis. Alimentos como nozes e sementes oleaginosas, óleo de peixe, óleos vegetais e azeite de oliva são ricos em gorduras “boas”. Não se pode afirmar que a redução da ingestão de gorduras pode reduzir o risco de câncer da próstata. Alguns estudos demonstraram haver correlação entre as gorduras encontradas na carne vermelha e laticínios com a elevação dos casos de câncer de próstata. Contudo, há estudos que não constatam essa correlação. Alguns pesquisadores encontraram evidências de que o óleo de peixes pode reduzir o risco do desenvolvimento de câncer da próstata, bem como reduzir o avanço de tumores já detectados. Aparentemente, os suplementos de óleo de peixe não têm o mesmo efeito do que comer peixe duas ou três vezes por semana. Em resumo, as recomendações para uma dieta mais saudável envolvem:

  • Preferir molhos de tomate aos molhos brancos;
  • Substituir salgadinhos, frituras crocantes e biscoitos por frutas;
  • Evitar carnes processadas e os embutidos, ao mesmo tempo reduzindo a carne vermelha nas refeições;
  • Remover toda a pele de frangos e perus;
  • Evitar frituras, substituindo-as por grelhados ou cozidos;
  • Preferir leite desnatado e evitar queijos e iogurtes, substituindo-os por leite de soja ou de arroz.

Zinco O zinco é bom para o sistema imunológico e é naturalmente encontrado na carne vermelha, frangos, frutos do mar, sementes oleaginosas e laticínios. A recomendação para o nível seguro de absorção de zinco na forma de suplementos nutricionais é de 25 mg por dia. Tomar doses mais elevadas de suplementos de zinco por muitos anos aumenta o risco de câncer da próstata.

Soja Os baixos índices de incidência de câncer da próstata entre os asiáticos pode parcialmente decorrer de sua dieta rica em soja. Contudo, não se tem certeza absoluta de que a alimentação rica em soja possa diminuir o risco de desenvolver o câncer de próstata, muito embora esse fato tenha sido constatado em um único estudo em grande escala. Cada vez mais, produtos derivados de soja estão disponíveis em supermercados e lojas especializadas, tais como leite, iogurtes, sementes de soja e pão. Para quem desejar adicionar produtos derivados de soja na sua alimentação, sugere-se que prefira as formas mais tradicionais já existentes, tais como o tofu, miso e tempe aos produtos processados como hamburgers, os quais podem ter altos índices de gorduras.

Leguminosas e cereais integrais Alguns estudos demonstraram que comer mais leguminosas como feijão, ervilhas e lentilhas contribuem para a prevenção do câncer de próstata. Alimentos com grãos integrais, como o pão preto, cereais matinais integrais e macarrão integral podem também reduzir o risco de vários tipos de câncer, incluindo o de próstata.

Preservando e cozinhando os alimentos A forma de preservar e cozinhar os alimentos é parte importante da dieta. A partir do momento que as frutas e vegetais são colhidos a sua concentração vitamínica começa a degradar. Contudo, há medidas que podem ser tomadas para usufruir o melhor da alimentação, que podem ser indicadas por um nutricionista, algumas das quais são descritas no próximo item.

Dicas para comprar e preservar os alimentos:

  • Adquirir produtos que tenham o aspecto de frescos.
  • Prefira produtos de produção local ou próxima e os de estação. Haverá menos tempo em que foram colhidos e, portanto, terão maior teor de nutrientes.
  • Evitar frutas danificadas ou vegetais murchos.
  • Preservar os alimentos em local escuro e frio.
  • Guardar separadas as carnes cruas e já cozidas.
  • Jogue fora os alimentos em fase de deterioração; não recorte ao redor da parte deteriorada para utilizar a “parte boa”.

Quando cozinhando vegetais, submeta-os a curta fervura. Não destrua os componentes nutricionais dos vegetais fritando-os ou assando-os. Churrasco de carne ou de peixe contêm elementos cancerígenos.

O que posso fazer para reduzir o risco de câncer da próstata? A tabela a seguir resume as informações descritas neste material. Sugere alguns alimentos que a pessoa deve comer mais ou adicionar à sua dieta. Uma dieta saudável, em conjunto com exercícios regulares, traz o benefício da melhora geral da saúde, além de reduzir o risco de várias doenças, inclusive o câncer de próstata.

O que comer mais Qual seu efeito? Como incluí-lo na dieta?
Frutas e vegetais Reduzem o risco de câncer e de outros problemas médicos Comer pelo menos cinco porções por dia Tentar incluir o arco íris na sua dieta.
Vegetais crucíferos Reduzem o risco de cancer da próstata Comer mais repolho, brócolis, couve flor, repolho de Bruxelas e couve.
Licopene Pode reduzir o risco de câncer de próstata e diminuir o ritmo de expansão do tumor Os licopenos são encontrados no tomate (particularmente cozidos ou processados) e em melancias, toranjas (grapefruit) rosa, goiabas e papaia.
Flavonoides Podem reduzir a incidência de vários tipos de câncer e de infecções urinárias Os flavonoides, principalmente a quercetina, são encontrados na soja e frutas de regiões frias, como o cranberry
Chá verde Protege contra o desenvolvimento e o crescimento do câncer de próstata Procurar beber chá verde em lugar de outras bebidas quentes durante o dia
Óleo de peixe As gorduras no óleo de peixe ajudam a prevenir o aparecimento e o crescimento de tumores na próstata Comer peixe gorduroso fresco, enlatado ou congelado pelo menos três vezes por semana. Exemplos de peixe gorduroso incluem: sardinha, salmão, cavala, atum (fresco ou congelado) e camarão.
Soja Pode reduzir o risco de câncer da próstata Preferir as formas tradicionais de derivados de soja, tais como o leite, tofu, miso e tempe.
Leguminosas Podem ajudar a prevenir o câncer da próstata Incluir mais feijões, ervilhas e lentilhas na dieta.
Grãos integrais Podem reduzir o risco de vários tipos de câncer, incluindo o da próstata. Alimentos com grãos integrais incluem o pão preto, cereais matinais integrais e macarrão integral.
Advertisements

Lezel ur respont

Fill in your details below or click an icon to log in:

Logo WordPress.com

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont WordPress.com Log Out / Kemmañ )

Skeudenn Twitter

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Twitter Log Out / Kemmañ )

Luc'hskeudenn Facebook

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Facebook Log Out / Kemmañ )

Google+ photo

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Google+ Log Out / Kemmañ )

War gevreañ ouzh %s